As regras do jogo!

Este post é um CTRL+C | CTRL+V de um anterior. É a vida, amiguinhos.

1ª – O Randonneurs Mogi não possui fins lucrativos. Desta forma: todo o valor das inscrições e os apoios serão traduzidos em comodidades aos participantes e/ou empregados diretamente na prova;

2ª – O termo de responsabilidade, devidamente preenchido, deverá ser apresentado no ato da vistoria;

3ª – Para quem ainda não sabe, quatro itens são imprescindíveis para se largar um Randonnée: iluminação eficiente (pilhas novas) na dianteira e traseira da bicicleta; capacete e colete reflexivo (estilo guarda de trânsito, vendido em estabelecimentos que comercializam EPIs – Equipamentos de Proteção Individual);

4ª – A organização fiscalizará a utilização, durante toda a prova, do colete reflexivo. As iluminações dianteira e traseira poderão ser desligadas tão logo amanheça, no entanto, o colete reflexivo deverá ser usado durante todo o percurso, sob pena de desclassificação. Motivo: de uma forma geral os motoristas desrespeitam os ciclistas. Por ser algo diferente, quando alguém faz uso de capacete e vestuário específico, o respeito aumenta. Por derradeiro, o colete reflexivo só fará aumentar o respeito dos motoristas com os participantes no brevet;

5ª – Ajuda externa não é admitida, exceto nos PCs. Não vejo com bons olhos “carro de apoio” em randonnée. Portanto, quem quiser ter o acompanhamento de um veículo, o mesmo deverá ficar plantado nos PCs. Randonnée é autossuficiência. Um carro próximo, além de atrapalhar o psicológico do participante, poderá desclassificá-lo do brevet. Quando se está cansado é muito mais fácil fazer bobagem. Desisti de apenas um brevet. Arrependo-me até hoje.

6ª – O brevet será realizado sob quaisquer condições climáticas. Não haverá adiamentos. Motivos que poderão inviabilizar a prova: erupção de um vulcão em algum ponto da rota (sendo em local próximo e a defesa civil informar que é seguro a passagem, a prova acontecerá normalmente); dilúvio no estilo “Noé” (daqueles em que só ele e alguns animaizinhos sobrevivem); queda de um meteoro sobre a rota ou em cima de algum PC (caso caia ao lado, a prova transcorrerá normalmente); em caso de “fim do mundo” a prova será adiada por tempo indeterminado. Já dizia o grande santa cruzense, Faccin: “O difícil não é fazer um brevet; o difícil é fazê-lo nas condições em que o mesmo se apresenta.”;

7ª – Aproveitem os PCs.

8ª – Como proceder nos PCs: cheguem, comprem algo, comam, paguem, peçam um comprovante (que pode ser o próprio recibo do pagamento do cartão) e guardem no saquinho que será dado na largada. Lembrem-se de que o PC é um lugar hostil e que vocês querem sair de lá o quanto antes.

9ª – Para que um participante obtenha sucesso em qualquer brevet randonnée no mundo a regra de ouro deverá ser observada. Um brevet de entrada, como o de 200km, é desenvolvido para uma média mínima de 15Km/h. Qual é a menor velocidade que um participante poderá imprimir na prova?! 0 km/h (zero). Isso sempre ocorre quando se está parado. Portanto, nos PCs, seja objetivo: carimbe seu passaporte; reabasteça; coma alguma coisa; ingira algo diferente de água ou do “veneninho” de suas caramanholas; faça suas necessidades fisiológicas e volte pro trecho. Quem fizer isso, vence.

Abraço a todos e boa preparação!!

This entry was posted in brevet 200km, informações, Randonnè. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s