O verdadeiro colete refletivo

post roubado na cara larga do pessoal do Audax Rio. Obrigado Eduardo Bernhardt e parabéns pelo trabalho e pela preocupação com a segurança na modalidade.

Olha o colete reflexivo do mano Hellman

Olha o colete “reflexivo” do mano Hellman

Testes realizados pela SAC (Sociedade Audax de Ciclismo – Porto Alegre) revelaram que alguns coletes refletivos só tem refletivo no nome e não servem para o propósito original. É algo a se temer. A segurança deve ser uma obsessão do bom randoneiro e estar o mais visível possível nas estradas (especialmente à noite) combina com o ideal de uma vida longa e feliz. 🙂

Isto posto decidimos divulgar que alguns coletes do tipo X são produzidos com uma fita refletiva de baixa qualidade e ficam literalmente apagados, mesmo com faróis fortes.
Além disso, há relatos de coletes que estragam as roupas que os ciclistas usam.
Sugerimos que os ciclistas adotem os coletes fechados ao invés do colete em X. Além de serem mais refletivos e não estragarem as roupas, ajudam na visibilidade do ciclista também de dia (veja nas fotos abaixo). Os de cor laranja se destacam muito e podem ser vistos a centenas de metros, alertando motoristas que há um ser vivo na via e dando a exata noção de onde ele está.

A propósito, é lenda que os coletes fechados são quentes. E para os mais ‘calorentos’ existem os coletes feitos de tela, super leves. Mais caros? Sim, mas epa! Qual o valor de nossa vida?

DSC00123 DSC00150

This entry was posted in Audax, informações, Randonnè. Bookmark the permalink.

8 Responses to O verdadeiro colete refletivo

  1. Ricardo Watanabe says:

    No site da SAC, há pelo menos dois post (com fotos) sobre coletes refletivos. Eles são itens importantes de segurança (assim como a iluminação traseira e o farol dianteiro) e não seria bobagem nenhuma reforçar os quesitos de vistoria neste tocante, como fez, em meados deste ano, o Audax Randonneurs São Paulo, ao exigir mais um ponto de iluminação traseira.

    Se poderia pensar em criar um registro de homologação de equipamentos ou, uma solução menos radical e custosa, estabelecer parâmetros mínimos de segurança para os equipamentos de segurança a serem utilizados pelos randonneurs (assunto de interesse geral a ser debatido em âmbito mais largo — Randonneurs Brasil, como entidade máxima dentro do país [?]).

    Uma vez que já somos o terceiro país em número de homologações (dimensão quantitativa), acredito que estas medidas de rigor, com o tempo, trariam também um ganho qualitativo para o randonnée brasileiro.

    Neste ponto, saindo um pouco do tema segurança, mas dentro do tema qualidade: lendo o recente relato, escrito pelo Fábio Guariglia, sobre a sua participação no brevet organizado pelo Randonneurs Litoral (https://audaxsp.wordpress.com/relato-brevet-200-itanhaem-261114-fabio-guariglia/), em especial, quando menciona sobre um carro de apoio fotografando e filmando o pessoal e, em outro momento, estacionado no acostamento enquanto alguns ciclistas retocavam o protetor solar (em clara desconformidade com o regulamento, mas, principalmente, com a essência do randonnée que é a autossuficiência) percebemos que este tipo de coisa acaba por trazer uma perda qualitativa para os brevets do randonnée brasileiro. Aqui, devo destacar, não estou acusando o Randonneurs Litoral de fazer decair a qualidade do randonnée brasileiro, mas apresentando um exemplo que se tornou público e que merece citação com vistas a promoção de ajustes e melhorias (a tal crítica construtiva).

    Parabéns por tocar no assunto e ajudar a promover o debate.

    Abraços,

    • rdmeneze says:

      Watanabe,
      esse assunto é completamente pertinente.

      Eu vi esses posts no site da SAC a um tempo atrás. Procurei hoje de manhã e não encontrei.

      Bom, pelo que sei, em Portugal há uma exigência do número de certificação do colete em relação a sua reflexibilidade. Sem este comprovante não larga.

      Aqui nas terras tupiniquins dá para fazer isso, mas percebo que muita gente não se preocupa com a qualidade do colete e acham que estamos (nós da organização) só enchendo o saco.
      Bom… acho que é isso.
      Espero que as pessoas leiam este comentário.

    • rdmeneze says:

      Acabei esquecendo de comentar sobre o carro de apoio.
      Este estilo de organização, onde esperamos que os ciclistas se monitorem é complicado… Não tenho como ter controle se há carros de apoio na estrada ou não.
      Acho que para isso eu teria que ter o apoio e a conscientização dos participantes para que cada um se tornasse um fiscal e denunciassem quaisquer desvios de conduta.
      Não sei se isso é esperar demais.

  2. Jefferson Covolan says:

    Rafa, eu uso aquele colete da Nathan… comprei na Decathlon e paguei na época mais de R$ 110,00… Hoje em dia se encontra o mesmo colete por menos de noventa contos… vale a pena: é leve e reflete super bem. Valeu!

    • rdmeneze says:

      eu sei qual é. É aquele com uma fita de leds atrás, né?

      Tinha um daqueles, emprestei para um cara no Desafio Rural e o colete evaporou.

      Tem uma galera que usa um colete da Curthlo, muito legal tmb.

  3. Alexandre says:

    Amigos, há muitos anos vinha usando os coletes em X. Tenho dois (um laranja e um amarelo) e ambos passam na “prova do flash”, i.e. ambos borram as fotos tiradas com flash. Este ano, quando fui me inscrever no 600 de POA ví nas instruções que eles exigiam colete fechado. Meio a contra gosto (regra é regra e tem que seguir, né ?) comprei o da Decathlon (http://www.decathlon.com.br/rodas/equipamentos-e-vestuario/vestuario/colete-refletivo-fluorescente-b-twin-7_31685?xtor=SEC-252%5BSearch_Generico%5D-GOO-%5BCampanha_DSA%5D-S-%5B_inurl:/rodas%5D&xts=538624&gclid=Cj0KEQiAkdajBRCJ_7_j6sCck7wBEiQAppb2i6baDBEeYCU7Pw6gLI4q-jkXrgvvsiekwShqNG9db90aAugr8P8HAQ). Confesso que foi caro. Uns R$ 130. Para minha surpresa o colete é MUIIIITO BOM em termos de visibilidade. Pedalei todo o 600 em dupla com um amigo e dava para ver como ele refletia nas costas do meu parceiro (que comprou um igual) quando vinham chegando de longe os carros à noite. Ele atende uma norma europeia (vem na etiqueta) e como o material se deteriora com o tempo (a tinta reflexiva vai saindo com o tempo) eles recomendam que vc TROQUE o colete de tanto em tanto tempo.
    Lição aprendida: Segurança não tem preço. Vc acha que está com um bom equipamento mas quando pega um melhor não que mais voltar para o antigo. Recomendo a todos (e não ganho nenhuma comissão da Decathlon tá ?!!!).
    Abraços e bom pedal a todos !
    Alexandre – SP

  4. Robson says:

    Realmente a vida do ciclista não tem preço!
    Em termos de colete refletivo, eu gosto muito deste estilo aqui:
    http://www.riocitybike.com/loja/colete-refletivo-para-ciclista/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s